QUEM SÃO, COMO VIVEM

Em  Oriximiná, vivem cerca de 10.000 quilombolas em 37  comunidades rurais situadas nas margens  dos Rios Trombetas, Erepecuru, Cuminã e Acapu. São  descendentes dos escravos que, no século 19, fugiram  dos senhores de Óbidos, Santarém, Alenquer e mesmo de Belém. Por meio da resistência guerreira e do aprendizado de formas eficazes de exploração da floresta, os negros construíram uma nova vida nos quilombos. Nesses territórios, suportes da vida liberta, permaneceram mesmo após a abolição oficial da escravidão. E lá se encontram até hoje.

Fotos: Carlos Penteado