Esta foi a segunda etapa da atividade realizada pela Comissão Pró-Índio de São Paulo na comunidade localizada em Óbidos, no Pará

405f44e70b7e6f81cfc9a72ce61d14ef.jpg

A Comissão Pró-Índio de São Paulo e Associação dos Remanescentes de Quilombo do Patauá do Umirizal (Arquipa) realizaram a segunda oficina Mapa do nosso Território, no último final de semana (26 e 27 de setembro), na comunidade Patauá do Umirizal,  localizada no município de Óbidos, Pará.

O objetivo do evento é apoiar a comunidade no processo de definição dos limites do seu território para subsidiar a demanda pela titulação de suas terras, cuja regularização está em andamento no Incra desde 2004. A primeira etapa do trabalho foi realizada em agosto deste ano.

Ao todo, trinta e três quilombolas da comunidade participaram da atividade, sendo vinte e três mulheres e dez homens. A CPI-SP realizou atividade semelhante nas comunidades quilombolas de Oriximiná, Pará. De acordo com Carolina Bellinger, assessora de coordenação da CPI-SP, o processo se mostrou extremamente importante para preparar os quilombolas para o diálogo com os atores estatais responsáveis pela identificação do território.

No município de Óbidos existem 1.233 famílias vivendo em 17 comunidades quilombolas. Seis terras quilombolas, incluindo Patauá, lutam pela conclusão dos processos de regularização de seus territórios há uma década. Há quinze anos, as comunidades da Terra da Área das Cabeceiras, única área quilombola regularizada no Município, receberam o título de suas terras.

A comunidade de Patauá do Umirizal, onde vivem 35 famílias, está com o processo aberto desde 2004, contudo não houve nenhuma providência do Incra até agora. O que emperra o processo é a certidão de autodefinição exigida pelo Incra, cuja responsabilidade pela emissão é da Fundação Cultural Palmares.

As oficinas de construção dos mapas dos limites do território integram a campanha de luta pela titulação das terras quilombolas no município de Óbidos e contam com apoio de Christian Aid, Fastenopfer e ICCO.

[/fusion_builder_column]
Texto: Bianca Pyl
Fotos e edição: Carolina Bellinger
[/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]